segunda-feira, 8 de outubro de 2007

MATÉRIA: CARTOGRAFIA - SERIADO 1º ANO

OS PÓLOS DA TERRA: As extremidades terrestres são denominadas pólos. Tendo em vista que a Terra “assemelha-se” a um gigantesco imã, destacaremos pólos distintos:
1) PÓLOS GEOGRÁFICOS: São as extremidades do eixo imaginário da Terra, situados a 90º N e 90º S da linha do Equador.
2) PÓLOS MAGNÉTICOS:São os extremos do campo magnético da Terra. Entretanto os pólos geográficos e magnéticos não coincidem. A diferença entre eles é chamada de Declinação Magnética.
DETERMINAÇÃO HEMISFERIAL
Pode-se dividir o planeta, como a uma esfera (sferius), em duas metades (hemis). Dá-se, assim, origem aos seguintes hemisférios:
NORTE , setentrional ou boreal;
SUL, meridional ou austral
OESTE OU ocidental
LESTE OU oriental

AS LINHAS IMÁGINÁRIAS
São linhas traçadas sobre a esfera celeste (da Terra), no sentido vertical (denominadas meridianos) e no horizontal (denominadas paralelos).
Os paralelos são linhas imaginárias que cortam o globo horizontalmente. Variam de 0º a 90º C, tanto ao norte quanto ao sul, a partir da linha do EQUADOR.
Os meridianos são semicírculos imaginários e traçados de pólo a pólo, variando de 0º a 180º a leste e a oeste, tendo como referencial o meridiano de GREENWICH (GMT Greenwich Meridiam Time), situado em Londres, na Inglaterra.

COORDENADAS GEOGRÁFICAS
As coordenadas geográficas são um conjunto de linhas imaginárias que servem para localizarmos um ponto qualquer, na superfície da Terra. Estas linhas são constituídas de meridianos e paralelos. A latitude é determinada por paralelos, enquanto a longitude é dada por meridianos. Com as coordenadas geográficas (latitude e longitude) podemos localizar um ponto qualquer na superfície terrestre.

OS MOVIMENTOS DA TERRA
Com sua forma ligeiramente esférica a Terra realiza dois principais movimentos: Rotação e Translação.
1) Movimento de Rotação
É o movimento que a Terra realiza em torno de si mesma, denominado movimento real, que se dá no sentido de oeste para leste, embora o que a maioria considera no seu cotidiano seja o movimento aparente, o do Sol, no sentido de leste para o este.
O movimento da Terra tem a duração de 23 horas, 56 minutos e 4 segundos, e sua velocidade é de 1666 Km/h, na altura do Equador. Suas principais conseqüências são as seguintes:
a) Interfere na circulação atmosférica e nas correntes marítimas.
b) Originou as horas e os fusos horários, de grande importância na organização das atividade humanas.
c) Sucessão dos dias e das noites.
2) Movimento De Translação
É o movimento que a terra executa ao redor do Sol. A trajetória percorrida chama-se órbita, cuja a forma é elíptica. Todo o percurso dura 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 48 segundo. Desta forma a, cada quatro anos teremos um dia a mais. Assim surge o ano bissexto, onde acrescentamos o dia 29 de Fevereiro.
A principal conseqüência da translação é a ocorrência das estações do ano, períodos nos quais, dependendo da posição da Terra em relação ao Sol, os hemisférios norte e sul poderão ser igual ou desigualmente iluminados.

3) As Estações Do Ano
Os solstícios são épocas onde os hemisférios norte e sul são desigualmente iluminados ocorrendo nas seguintes datas:
· 21 de Dezembro: solstício de verão no hemisfério sul, ocorre que os dias são mais longos e as noites são mais curtas. No hemisfério norte ocorre o inverno.
· 21 de Junho: solstício de verão no hemisfério norte, ocasionando verão no hemisfério norte e inverno no hemisfério sul. Aqui, no hemisfério sul, os dias são mais curtos e as noites mais longas neste período.
. Os equinócios são épocas em que os hemisférios norte e sul são igualmente iluminados. Ocorrem nestas datas:
· 21 de Março: assinala o início do outono no hemisfério sul e da primavera no hemisfério norte. As durações dos dias e das noites são iguais nos dois hemisférios.
· 21 de Setembro: marca o início da primavera no hemisfério sul e outono no hemisfério norte. Também são iguais dias e noites.

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
É a representação de uma superfície esférica (a Terra) num plano (o Mapa), ou seja, trata-se de um “sistema plano de meridianos e paralelos” (Canevá), sobre os quais pode ser desenhado um mapa.
O grande problema da cartografia consiste em ter de representar uma esfera num plano, pois como já sabemos a esfera é um sólido não planificável. Assim sempre haverão distorções ou deformações. Atualmente são utilizados cálculos matemáticos bastantes precisos, que facilitam a criação de projeções com menor grau de deformação.
Os três tipos básicos de projeções são:
· CÔNICA
· AZIMUTAL
· CILÍNDRICA
1) Projeção Cônica: Proveniente da projeção do globo terrestre sobre um cone, que posteriormente é desenvolvido.
Características:
1. Apresenta paralelos circulares e meridianos radiais, isto é, originados em um único ponto.
2. Muito utilizada na representação de países ou regiões de latitudes intermediárias.

2) Projeção Azimutal
Resulta da projeção do globo terrestre sobre um plano, a partir de um determinado ponto (ponto de vista).
Características:
1. Utilizada em mapas especiais, principalmente os náuticos e aeronáuticos.
2. Quando o ponto de projeção se dá sobre o pólo teremos os meridianos como linhas retas e convergentes ao pólo e os paralelos serão círculos concêntricos, abrangendo apenas um hemisfério.

3) Projeção Cilíndrica
Resulta da projeção de paralelos e meridianos sobre um cilindro envolvente, que é posteriormente planificado.
Características:
1. Apresenta paralelos retos e horizontais e meridianos retos e verticais;
2. Gera um crescimento (deformação) exagerado nas elevadas latitudes;
3. É a representação mais utilizada na confecção dos mapas mundi.

Mercator x Peters
Entre as formas mais utilizadas para se apresentar o mapa do Mundo, estão duas projeções do tipo cilíndrica. A de Peters e a de Mercator.
A Projeção de Mercator é datada de 1569, sendo utilizada por navegadores, descobridores, geógrafos, entre vários outros profissionais, durante séculos. É bem verdade que seu método de construção sempre sofrera críticas, pois a deformação dada aos territórios dos países era impressionante, enquanto é mantida a retidão dos ângulos. Essa era, portanto, uma discussão de caráter matemático.
Entretanto, dentro do contexto da Guerra Fria, passou-se a discutir a projeção de Mercator como sendo, em sua forma, um instrumento que denotava dominação, privilegiando o colonizador, isto é, fora acusada de tendenciosa e de destacar principalmente os EUA e os países Europeus.
Assim, em 1973, surge a Projeção de Peters, que embora sendo de origem cilíndrica, como a primeira, mantém a proporção das áreas, mas deforma as medidas de ângulos. Passou a ser utilizada por geógrafos e editores que achavam “contestar” a ordem vigente.
O que se nota, de fato, é que ambas tem pontos positivos e negativos e que devem ser privilegiadas não no campo ideológico, mas mediante a necessidade de quem irá trabalhar com cartas (mapas).

FUSOS HORÁRIOS
Devido as diferenças de iluminação do globo, e do desenvolvimento das comunicações internacionais, tornou-se necessário coordenar as horas legais dos diferentes países.
Em uma hora a Terra gira 15º de longitude (360º rotação/24 horas, tempo gasto). Portanto, a Terra divide-se em 24 fusos de 15º (de longitude) cada ou 1 hora.
A hora do Meridiano Greenwich (GMT), é a hora padrão, sendo que todos os pontos situados em um mesmo meridiano possuem a mesma hora.
O movimento de rotação realiza-se de oeste para leste, assim todos os locais situados a leste de GMT tem a hora adiantada e, todos os locais situados a oeste tem a hora atrasada com relação a este meridiano.
Quando conhecemos a hora de um local da Terra, podemos determinar sua longitude comparando com a hora de GMT.
Os cálculos de diferenças horárias permitem a um cidadão se posicionar frente ao seu objetivo em relação à outra parte do planeta que se encontre fora do fuso em que ele se encontra. Seja, por exemplo, num jogo de futebol, numa reunião de executivos, numa viagem de turismo, de compras, para se ouvir um noticiário etc.
1) CÍRCULOS HORÁRIOS
A partir do estudo da Geodésia (projeções sobre a forma com que se apresenta o Planeta Terra), pode-se traçar círculos verticais sobre a esfera celeste (meridianos) e determinar um desses círculos para ser o originário dos demais, tanto a leste, quanto a oeste. Este círculo (dotado de meridiano e anti-meridiano) trata-se de Greenwich - 0º - passando sobre a cidade de Londres, Inglaterra.
2) HORA SOLAR OU LOCAL
Esta “Hora Local” é fornecida pela posição do sol no céu, mediante referencial do observador, estando este em local qualquer sobre o Planeta.
Assim, em um local qualquer é meio-dia quando o sol localiza-se em seu plano mais elevado (Zênite), o mesmo que dizer que o sol está “a pino” neste local.
3) HORA LEGAL
É a hora oficial, adotada por lei, de um país ou região. Muitas vezes não coincide com a hora solar, por exemplo no caso do horário de verão.
4) LINHA INTERNACIONAL DE DATAS
É a Linha correspondente ao Anti-meridiano de Greenwich, isto é, é a linha que se encontra a 180º de longitude em relação à GMT, sejam estes 180º a oeste (W) ou a leste (E).
Por exemplo: Quando é meio dia em Greenwich, é meia noite no meridiano oposto, 180ºE (Anti-meridiano de Greenwich).
É também utilizada para marcar a virada de datas, por exemplo: A uma distância oeste da linha internacional de datas são 23:59 horas do dia 15 de Novembro e, a mesma distância no lado leste são 0:01 horas do dia 16 de Novembro.
SOLUÇÃO DE PROBLEMAS
Seguiremos a explicação passo-à-passo para que você possa acompanhar o desenvolver de cada exercício. É importante ressaltar, todavia, que a resolução dos tipos de exercícios mais bem elaborados dependerá, sobremaneira, da sua atenção na resolução dos mais simples, captando formas que facilitem e acelerem o seu raciocínio.
1º passo: Determine a diferença de longitude entre as duas localidades em questão (a que se conhece, e aquela que se deseja conhecer).
2º passo: Observe se as localidades encontram-se no mesmo hemisfério. Some as longitudes se forem opostas (leste-oeste) ou subtraia, se estiverem no mesmo hemisfério.
3º passo: O resultado obtido será dividido por 15º fornecendo-nos a diferença horária entre as duas localidades.
IMPORTANTE
Duas localidades situadas a leste de GMT a de maior longitude terá a hora adiantada.
Duas localidades a oeste de GMT a de maior longitude possui a hora atrasada.
Por força de Lei, oficialmente o Horário a ser seguido sobre o território brasileiro tem como referencial a “Hora Oficial de Brasília”, que se encontra a 45º de longitude W (oeste).
Assim, por exemplo, quando os relógios de Brasília (e todas as localidades ajustadas dentro deste mesmo fuso) estiverem marcando 14 horas, nesse mesmo instante em Fernando de Noronha serão 15 horas, pois se encontra 1 (um) fuso à frente (adiantado) em relação à Brasília; já no Acre os relógios marcarão 12 horas, tendo-se em vista que este estado se encontra dois fusos atrás (atrasado) em relação à Brasília.

Um comentário:

be disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.