quarta-feira, 19 de setembro de 2007

COLÔMBIA

O conflito colombiano, um dos mais antigos da América Latina, deriva da disputa pelo poder
entre conservadores e liberais. Sob a liderança de Manuel Marulanda, o Tirofijo, ex-combatentes
liberais fundam as Farc nos anos 60 para lutar pela criação de um Estado marxista. Outros grupos de esquerda - como o guevarista Exército de Libertação Nacional (ELN) - e milícias de extrema direita entram no conflito. A partir dos anos 80, a guerra civil ganha um novo protagonista: o tráfico de drogas. As Farc e o ELN financiam a luta armada à custa dos serviços de proteção vendidos aos traficantes e do seqüestro de civis. Cerca de 3 mil resgates são pagos anualmente à guerrilha. A violência já matou cerca de 30 mil pessoas desde os anos 60 e tem forçado maciços deslocamentos internos da população.
Em 2000, a liberação, por parte dos EUA, de 1,3 bilhão de dólares em ajuda financeira para os
programas antidrogas da Colômbia aumenta o temor da guerrilha de uma intervenção armada no país.