terça-feira, 13 de janeiro de 2009

PISM 2009 - 3ª ETAPA

Questão 1:

Leia o fragmento de texto a seguir.

“Após registrar um decréscimo de aproximadamente 15% no fluxo de turistas japoneses para o Brasil em 2007, na comparação com 2006, este ano o mercado promete se recuperar. [...] A expectativa é de crescimento médio na casa dos 25%, recebendo entre 70 e 80 mil japoneses, segundo informou o Ministério do Turismo, por meio do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), órgão responsável pela promoção do destino Brasil no exterior. Esse aquecimento tem estimulado também os negócios de empresas do turismo no País, como Japan Airlines (JAL), Blue Tree Hotels e Queensberry, que estimam alta nos negócios de até 25% em 2008”.

Em 2008, o incremento de turistas japoneses no Brasil foi resultado

a) da abertura do setor turístico nacional ao capital internacional.

b) da inexistência de desastres naturais nas cidades brasileiras.

c) das comemorações do centenário da imigração japonesa no País.

d) das novas rotas dos grandes transatlânticos na costa brasileira.

e) das políticas nacionais de divulgação dos atrativos turísticos.

A imigração japonesa no Brasil começou no início do século XX, através de um acordo entre o governo japonês e o brasileiro. Atualmente, o Brasil abriga a maior população japonesa fora do Japão com cerca de 1,5 milhão de nikkeis (termo usado para denominar os japoneses e seus descendentes).

Questão 2:

No mapa a seguir, localize a região do TIBETE.

A ocupação do Tibete pelos chineses se arrasta há 49 anos. Mais de uma geração nasceu, cresceu e alcançou a maioridade sob domínio chinês. Mais de uma geração nasceu, cresceu e alcançou a maioridade no exílio. E está claro que, por mais que sua posição seja denunciada como ilegítima, por maior que seja o desgaste político que tenham que enfrentar os líderes de Beijing não estão dispostos a abrir mão do Tibete – seja em curto ou médio prazo.

O Tibete, para a China, possui uma importância econômica e estratégica fundamental, porque a região

a) abriga uma importante área de sítios arqueológicos chineses.

b) fornece mão-de-obra barata para as indústrias de Taiwan.

c) impede a invasão dos povos inimigos do governo chinês.

d) possui as maiores e importantes reservas mundiais de urânio.

e) protege os chineses dos impactos das chuvas monçônicas.

A região do Tibete tem 2,5 milhões de km2, área um pouco maior do que os estados de Minas Gerais, Bahia e Goiás juntos e é muito rica em recursos naturais, de madeira a minérios, e tem um enorme potencial hidrelétrico

Questão 3:

Observe o mapa a seguir, que representa a distribuição de refugiados no mundo.

De acordo com o mapa e a mobilidade populacional mundial é CORRETO afirmar que:

a) a América do Sul é uma área de expulsão de pessoas por isso possui pequeno número de refugiados.

b) a distribuição dos refugiados no mundo apresenta-se de maneira homogênea entre os continentes.

c) aproximadamente 80% dos refugiados são acolhidos pelos países em desenvolvimento.

d) os contingentes de refugiados concentram-se em áreas litorâneas devido ao transporte marítimo.

e) os Estados Unidos, individualmente, são o país que acolhe o maior número de refugiados no mundo.

Calcula-se que existam em todo o mundo cerca de 21 milhões de refugiados, dos quais 12,6 milhões são refugiados dentro dos seus próprios países de residência, em lugares como Darfur, Uganda e República Democrática do Congo e os países que mais os recebem são os em desenvolvimento uma vez que os países ricos impõem restrições à entrada de imigrantes.

Questão 4:

Leia o fragmento de texto a seguir.

“Sem alarde, o antigo ‘quintal’ dos Estados Unidos deixa para trás sua histórica subordinação a Washington, buscando novos parceiros fora do continente fortalecendo a capacidade de ação estatal. A Doutrina Monroe está se desvanecendo, lentamente’. Juán Gabriel Tokatlian.. Fonte: Le Monde Diplomatique Brasil. São Paulo: Instituto Polis. Ano 1, n.10, out. 2008.

Que fato atual confirma as afirmativas de Tokatlian?

a) A falência das duas gigantes do crédito imobiliário americano Fannie Mae e Freddie Mac.

b) A vitória dos países emergentes na rodada de negociações da Organização Mundial do Comércio.

c) O apoio da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) à invasão do Mali pela Índia.

d) O aumento dos preços do petróleo pela OPEP independentemente das pressões americanas.

e) O fracasso da iniciativa americana de efetivar a ALCA (Área de Livre Comércio da América).

Os EUA há alguns anos atrás apresentou o acordo da Alca (Área de Livre Comércio das Américas), o qual tinha interesse de fazer aumentar a entrada de seus produtos e serviços no continente.
O objetivo era transformar todos os países da América, exceto Cuba, em uma zona sem barreiras alfandegárias. A pretensão provocou desconfiança entre os movimentos sindicais e sociais latino-americanos, que temiam a perda de empregos e por isso realizaram muitas manifestações contra o Alca.
As articulações em direção ao acordo esbarraram nesse descontentamento e nas divergências entre os países. Em novembro de 2005, foi realizada a última Cúpula das Américas, que reuniu os governantes do continente, marcou o fracasso do acordo.

Questão 5:

Observe o mapa a seguir.

Marque a alternativa que apresenta corretamente uma característica da região em destaque no mapa.

a) A maior parte do continente é de formação vulcânica e, o fato de estarem localizados no limite da placa tectônica do Pacífico faz com que a região mantenha uma atividade sísmica e vulcânica bastante alta.

b) A parte continental é limitada a Norte pelo Oceano Glacial Ártico, a oeste pelo Oceano Atlântico, a sul pelo Mar Mediterrâneo, e a Leste, onde a delimitação é mais artificial, pelos Montes Urais e pelo Rio Ural.

c) Em razão do alto endividamento externo e interno, vários países dessa região aplicam as políticas do Fundo Monetário Internacional (FMI), que comprimem as contas públicas mas não eliminam as crises.

d) A agricultura é pouco desenvolvida, fato que se relaciona ao clima árido. Na região mediterrânea, destacam-se culturas comerciais como oliveira, fumo, trigo e tâmara. A atividade industrial não é forte.

e) Tem cerca de 30 milhões de km², cobrindo 20,3 % da área total da terra firme do planeta e mais de 900 milhões de habitantes em 53 países, representando cerca de um sétimo da população do mundo.

A Oceania fica situada numa das áreas mais instáveis da crosta da terra. Os terremotos e as erupções vulcânicas ocorreram e continuam a ocorrer ao longo de ambas as bordas do Oceano Pacífico, na Ásia e na América. Os terremotos e as erupções vulcânicas que ocorrem na vasta área interna não são tão bem conhecidos, contudo foi por causa deles que todas as ilhas menores vieram à existir.

Questão 6:

Leia a notícia a seguir.

“Brasil explora o Paraguai em Itaipu”, diz o título principal do jornal ABC Color. “Esta deve ser a prioridade máxima do próximo governo”.

No texto, afirma-se que o Paraguai é um dos poucos países do mundo com excedentes energéticos, mas devido ao acordo assinado durante período de ditaduras militares nos dois países e “mantido por governos corruptos, não pode usufruir, legitimamente, de seus recursos naturais, como faria qualquer nação do planeta”.

Ainda de acordo com o mesmo texto, na primeira página do jornal, no caso de

Itaipu, o povo paraguaio é “obrigado a ceder ao Brasil” a maior riqueza que o país dispõe para sair da pobreza. Fonte:

O Paraguai é um dos poucos países do mundo com excedentes energéticos porque

a) desenvolve uma política de utilização de fontes alternativas.

b) o setor agrícola utiliza apenas a mão-de-obra dos indígenas.

c) o seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é elevado.

d) possui uma produção de energia elétrica acima da demanda.

e) utiliza o excesso de gás produzido pelas refinarias bolivianas.

A Usina de Itaipu pertence ao Brasil e Paraguai em partes iguais. Pelo contrato de 1973, cada um tem direito a 50% da energia produzida. Caso uma das partes não use toda a cota, vende o excedente ao parceiro a preço de custo.

Como o Paraguai utiliza apenas cerca de 5% dessa energia – o que atende 95% da demanda do país-, o restante é vendido ao Brasil - no total, 20% da energia elétrica usada por aqui vem de Itaipu.


Questão 7:


Leia o fragmento de texto a seguir.

“Nove horas sob o banco de gelo. Dia 2 de agosto último, dois batiscafos russos, Mir 1 e Mir 2, retornam à superfície após fincarem uma bandeira russa de titânio inoxidável na vertical do Pólo Norte, a 4.261 metros de profundidade. [...] O ministro canadense, Peter Mackay, ironiza: ‘Não estamos no século XV. Não se pode percorrer o mundo, fincar bandeiras e dizer: Reivindicamos este terrirório’. E o porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Tom Casey, acrescenta: ‘Hastear uma bandeira no fundo do mar não tem nenhum significado jurídico’.” Dominique Koop Fonte: Le Monde Diplomatique Brasil. São Paulo: Instituto Polis. Ano 1, n.2, set. 2007.

O Ártico tornou-se um foco de tensão geopolítico devido

a) a escassez de terras.

b) a globalização capitalista.

c) ao aquecimento global.

d) ao avanço tecnológico.

e) ao potencial pesqueiro.

A região tem gigantescas reservas de gás e petróleo, mais uma prova de que os combustíveis renováveis não impedirão o crescimento da indústria petrolífera. Por esta razão, mais do qualquer outra, cresce a importância política e estratégica do Ártico.
No local reivindicado pelos russos, está o que eles chamam de parte submersa da cadeia de montanhas Lomonosov, que alegam ser a continuação da plataforma continental siberiana, mas são contestados pelo Canadá e Dinamarca, que pretendem provar que as montanhas submarinas são parte das respectivas plataformas continentais. O recuo da camada de gelo em direção ao Norte facilita a passagem de navios de prospecção, e cada país luta pelo direito - se é que algum há - de explorar as riquezas locais. Atualmente, a região é considerada neutra, águas internacionais – é o que dizem os EUA, outro grande interessado nas reservas energéticas locais.

Questão 8:

Leia o texto a seguir.

Putin denuncia que invasão da Ossétia do Sul pela Geórgia foi instigada pelos Estados Unidos

O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, afirmou, que foram os Estados Unidos os instigadores da Geórgia para que agredisse a Ossétia do Sul.

“Parceiros norte-americanos foram preparando as forças armadas georgianas, investindo muito dinheiro e mandando numerosos instrutores para ali, para mobilização do exército. Eles simplesmente impeliram um dos lados em conflito – o lado georgiano – rumo a ações agressivas,” descreveu. O ex-presidente russo acrescentou que “se a Rússia não tivesse defendido a Ossétia do Sul, teria havido um segundo ataque no Norte do Cáucaso”.

Leia as afirmativas a seguir.

I - A Geórgia é um importante elo no corredor energético que liga a região do Cáspio e da Ásia Central, rica em petróleo, à União Européia.

II - O povo da Ossétia do Sul deseja se unir a seus semelhantes étnicos na Ossétia do Norte, que é uma república autônoma dentro da Federação Russa.

III - Duas regiões separatistas da Geórgia, a Ossétia do Sul e a Abkhazia, são o motivo do conflito com a Rússia.

IV - Com a queda da União Soviética, a independência da Geórgia foi proclamada em 1991.

Sobre esse conflito é CORRETO afirmar que:

a) Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.

b) Apenas as afirmativas II e IV são verdadeiras.

c) Apenas as afirmativas I e III são verdadeiras.

d) Apenas as afirmativas I, II e III são verdadeiras.

e) As afirmativas I, II, III e IV são verdadeiras.


Entre o Mar Negro e as montanhas do Cáucaso, encontra-se um dos cenários mais complexos do jogo político internacional contemporâneo. Na junção entre o leste europeu e a faixa ocidental asiática, convivem temas como separatismo, etnonacionalismo, operações de paz, redefinição de zonas de influência, matizados por, pelo menos, cinco focos de conflito: Transnistria, Ossétia do Sul, Abkházia e Nagorno-Karabakh e Chechênia.

QUESTÕES DISCURSIVAS

Questão 1:

Observe o gráfico a seguir. Ele representa a relação entre densidade populacional das aglomerações e consumo de energia no transporte de seus habitantes.

A tonelada equivalente de petróleo (tep) é a unidade comum na qual se convertem as unidades de medida das diferentes formas de energia utilizadas. Unidade de medida de consumo de energia equivalente a 7,4 barris de petróleo.

Com base no gráfico, responda: Por que as cidades com menor densidade populacional têm maior consumo de energia por habitante?

Devido ao padrão de consumo de sua população. Essas cidades encontram-se em países ricos, com acesso a bens de consumo que os habitantes dos países pobres não possuem. Um quarto da população mundial consome 80% dos bens e mercadorias produzidos pelo homem.

Questão 2:

Leia a charge a seguir.

a) Cite 4 países que fazem parte do G-8.

Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Canadá e Rússia.

b) Cite 4 países que fazem parte do G-20.

O G20 (países industriais) é um grupo que integra as maiores potências do mundo. O principal objetivo do G20 é discutir e desenvolver uma política que promove o "crescimento sustentável" da economia mundial. Países integrantes do G20
01. África do Sul; 02. Alemanha; 03. Arábia Saudita; 04. Argentina; 05. Austrália; 06. Brasil; 07. Canadá; 08. China; 09. Coréia do Sul; 10. Estados Unidos; 11. França; 12. Índia; 13. Indonésia; 14. Itália; 15. Japão; 16. México
17. Reino Unido; 18. Rússia; 19. Turquia; 20. União Européia

c) Nessa charge, apresenta-se uma nova divisão do poder econômico mundial. Como essa divisão difere da divisão que agrupava os países como sendo do Primeiro, Segundo e Terceiro Mundo?

A divisão atual é baseada em critérios econômicos: países do Norte (ricos) e do Sul (pobres). A divisão na época da Guerra Fria baseava-se em critérios ideológicos (capitalismo X socialismo).